Site em Manutenção

Exposições

Expor é ou deveria ser, trabalhar contra a ignorância, especialmente contra a forma mais refratária de ignorância, a ideia pré-concebida, o preconceito, o estereótipo cultural. Expor é tomar e calcular o risco de desorientar-se no sentido etimológico (perder a orientação, perturbar a harmonia, o evidente e o consenso, constitutivo do lugar comum, do banal)” (MOUTINHO, 1994:4)

As exposições fotográficas têm como objetivo representar e comunicar histórias, memórias, tradições, tecnologia, saberes e fazeres. Elas devem ser também ferramentas de produção, reprodução e difusão de conhecimentos e importantes espaços para a circulação de ideias e, portanto, essencialmente políticas. Constituem-se ainda um instrumento fundamental de acesso aos acervos de museus; muitas vezes é o primeiro contato do espectador com determinado tema. As exposições, deste modo, traduzem anseios, medos, questionamentos, afirmações, perguntas e respostas, propondo soluções por meio de uma discussão pública e coletiva. (BORDINHÃO, SIMÃO, VALENTE, 2017, p.11)

Desde 2012, quando foi promovida a primeira exposição fotográfica, mais de 185 mil pessoas tiveram a oportunidade de prestigiar as mostras fotográficas promovidas pelo CEMAC ou realizadas em parceria com outras instituições, sempre em espaços com acessibilidade e de forma gratuita. As exposições organizadas pelo CEMAC estão disponíveis também para empréstimo gratuito a instituições interessadas. O Centro de Memória tem buscado, também, construir relações com as escolas dos municípios de atuação das cooperativas, abrindo as portas para visitas guiadas ou levando exposições e atividades educativas até elas, como forma de fomentar o interesse pela história e cultura regional.

Piaget enxergava a educação como ferramenta transformadora. Assim compreendemos o papel do museu, um elemento que: “Possibilite criar homens que sejam capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir o que outras gerações fizeram, homens que sejam criativos, inventores e descobridores. Formar mentes que possam ser críticas, possam verificar, e não aceitar tudo quanto lhes é oferecido (RICHMOND, 1975, p. 153, in FRANCO, 2005, p. 139).

E no caminho tinha um museu…

E no caminho tinha um museu…

Entre os dias 03 e 13 de março de 2023, o CEMAC recebe a exposição fotográfica “E no caminho tinha um museu”. Este projeto tem como objetivo registrar, preservar, difundir e potencializar a atuação dos museus dentro das comunidades em continue lendo...

Histórias que se conectam

Para o evento do Jubilados 2022 da Cooperalfa, o CEMAC organizou uma exposição fotográfica que mostra como vários colaboradores criaram conexões fortes com a cooperativa ao longo da sua trajetória como colaboradores. Percorrendo estas imagens capturadas ao longo de 55 anos continue lendo...
Histórias que se conectam
<strong>Memorial Itinerante Dom José Gomes</strong>

Memorial Itinerante Dom José Gomes

Toca em frente…essa era uma frase recorrente nas falas de Dom José Gomes ( em memória), terceiro bispo da Diocese de Chapecó, onde atuou por mais de 30 anos (entre 1968 e 1999). Foi para celebrar os centenário do seu continue lendo...

Sicoob MaxiCrédito 38 anos

O Encontro de Associados Delegados 2022 do Sicoob MaxiCrédito reuniu cerca de 500 pessoas do Oeste, Vale, Litoral e Rio Grande do Rio Grande do Sul, nos dias 25 e 26 de novembro, em Chapecó/SC. O CEMAC participou com a continue lendo...
Sicoob MaxiCrédito 38 anos
Postos Alfa 40 anos

Postos Alfa 40 anos

Para comemorar o aniversário de 40 anos dos Postos Alfa, o CEMAC organizou uma exposição fotográfica, que contou um pouco da sua trajetória. Na década de 1970, a Cooperalfa adquiriu uma bomba de combustível para abastecimento de sua frota interna. continue lendo...

Fritz Plaumann, a origem da vida

O CEMAC recebeu nos meses de maio e junho de 2022 a Exposição Fotográfica ” Fritz Plaumann, a origem da vida”. A exposição teve como objetivo mostrar ao público algumas imagens feitas pelo pesquisador da paisagem regional, além de fomentar continue lendo...
Fritz Plaumann, a origem da vida
De fábricas de banha a agroindústrias internacionais: a construção da cultura agroindustrial de Chapecó

De fábricas de banha a agroindústrias internacionais: a construção da cultura agroindustrial de Chapecó

Contemplado no Edital Municipal de Fomento e Circulação das Linguagens Artísticas do Município de Chapecó 2019, o projeto foi lançado no dia 08 de junho de 2021, realizado pelas historiadoras Elisandra Forneck e Aline Maisa Lubenow, com o apoio do continue lendo...

Aurora 50 anos: cinco décadas de transformação

Em 2019, a Cooperativa Central Aurora completou 50 anos de fundação. Uma das atividades alusivas à data foi a circulação de uma exposição fotográfica denominada “Aurora 50 anos: cinco décadas de transformação”, idealizada pelo Centro de Memória da Fundação Aury continue lendo...
Aurora 50 anos: cinco décadas de transformação
Exposição “Amor à moda antiga”

Exposição “Amor à moda antiga”

Na semana dos namorados (10 a 14 de junho de 2019), o Centro de Memória Alfa/MaxiCrédito – CEMAC, exibiu a exposição fotográfica “Amor à Moda Antiga”, no hall de entrada do Superalfa Chapecó e agência Pioneira do Sicoob MaxiCrédito. Cerca continue lendo...

Claro Gustavo Jansson: o fotógrafo do Contestado

O Planalto Norte Catarinense, historicamente ligado a atividades primárias como extrativismo e agropecuária, foi palco de um dos maiores conflitos da História do Brasil: a Guerra do Contestado (1912-1916). Durante o 13º Campo Demonstrativo Alfa em Bela Vista do Toldo/SC, continue lendo...
Claro Gustavo Jansson: o fotógrafo do Contestado
Ir para o Topo