“Era tudo mato”

“Era tudo mato…” São vários os relatos que utilizam essa expressão para descrever as paisagens encontradas na região Oeste Catarinense no início do século XX. Os recursos naturais eram considerados inesgotáveis e foram explorados gradativamente ao longo das décadas. Você já parou para pensar as consequências das atividades humanas na biodiversidade da região?  Pensando nisso, durante a Primavera dos Museus 2018, o CEMAC exibiu no hall de entrada do Super Alfa Chapecó a exposição fotográfica concebida pelo CEOM/Unochapecó, “Era Tudo Mato: impactos da atividade humana na biodiversidade ao longo da história do Oeste Catarinense”. A exposição busca promover a reflexão sobre essa questão, possibilitando compreender os efeitos da ação humana sobre o patrimônio natural da região, sempre considerando o contesto temporal e espacial dos sujeitos envolvidos em relação ao meio ambiente, seus usos e conservação. Foram mais de 17 mil pessoas que passaram pela exposição entre os dias 17 e 25 de setembro. A mostra também foi exibida no SuperAlfa Xaxim entre os dias 28 de setembro e 09 de outubro, onde recebeu mais de 16 mil visitantes.