Pedro Giordano Cella (em memória)

Pedro Giordano Cella nasceu em 13 de fevereiro de 1927, em Colônia Cella, município de Chapecó, SC. É irmão de Chisto, Orlando e gêmeo de Giacondo, primo de Marcelo e Severino Cella, todos fundadores da cooperativa. Assim como a família, foi madeireiro e agricultor. Foi um ativo participante da comunidade de Colônia Cella, presidida por ele durante 26 anos consecutivos. Fez parte do Conselho Fiscal da Cooperalfa entre 1975 e 1976 e participou da diretoria do Sindicato Rural de Chapecó. Junto com os irmãos, batalhou pela energia elétrica e linha telefônica para a Colônia Cella. Articulou, junto à Secretaria do Oeste, a abertura do acesso à BR 282. Foi ainda presidente do grupo da terceira idade da Colônia Cella por duas vezes.A matrícula de associação na Cooperalfa tem o registro número 129. Em entrevista concedida ao Jornal da Cooperalfa em outubro de 1991, Cella aponta que falar mal da cooperativa é uma contradição. “A cooperativa é o próprio associado, e não um monte de tijolos empilhados que aloja escritórios, nem uma direção composta de cinco ou seis pessoas”. Contou também que seus vizinhos tinham medo do cooperativismo. “Eu não tinha porque conhecia o Bodanese, esse era um dos meus argumentos quando vinham me perguntar o que eu achava”. Na ocasião, Pedro defendia que os agricultores do Oeste catarinense consolidaram muitas conquistas com a cooperativa. A primeira, segundo ele, foi a função de regular os preços do mercado e acabar com o absurdo dos atravessadores. A segunda, a defesa dos agricultores junto aos órgãos estaduais e federais pelo seu poder de barganha. Casado com Elza Lúcia Cella, teve sete filhos. Pedro faleceu em 09 de setembro de 1996 e Elza faleceu em 16 de março de 2017. Segundo a filha Joice, o pai e a mãe tinham um coração imenso, com alegria e generosidade contagiante. Eram tão admirados na comunidade onde viveram que tiveram 115 afilhados de batismo, crisma e casamento. Pedro também era conhecido na região pelo excelente vinho que produzia.