Valmor Ernesto Lunardi (em memória)

Valmor nasceu em Xaxim, no dia 15 de novembro de 1933. Aos 12 anos, deixou os pais e seis irmãos no interior de Santa Catarina para estudar em um colégio interno em Passo Fundo, Rio Grande do Sul. Ficou por lá até entrar para a faculdade de Medicina, em Santa Maria. Frequentava muitas festas e, em uma destas saídas, conheceu Glenda, prima da namorada de um amigo. Formou-se em um dia e dois dias depois se casou, assim, os vários parentes puderam aproveitar a viagem para participar das duas festas. Lunardi foi médico oftalmologista, cirurgião e clínico geral. Também atuou como perito médico do Departamento Estadual de Trânsito – DETRAN. Agropecuarista em Chapecó, foi o primeiro presidente de uma das maiores feiras agropecuárias do país, a EFAPI – Exposição-Feira  Agropecuária,  Industrial  e Comercial de Chapecó. Lunardi ficou muito conhecido pelas articulações de projetos para a região. Foi  um  dos responsáveis  pela  instalação de uma instituição de ensino  superior no Oeste, construção  de  novas  estradas  e  pela  chegada  de  grandes  e  pequenas empresas em Chapecó. Em 1999 recebeu o título de Cidadão Chapecoense, conferido pela Câmara Municipal de Vereadores de Chapecó.  “Foi com base nas dificuldades de comercialização dos produtos agropecuários que se viabilizou o cooperativismo, o tipo de sociedade mais correto e justo no aspecto socioeconômico”, considerava Lunardi. “A cooperativa sempre foi bem gerenciada em benefício do associado e esperamos que continue assim”. Sobre as vantagens do sistema cooperativista, Lunardi acreditava que, “na cooperativa manda o indivíduo e não o capital. Pequenos e grandes produtores são tratados igualmente”. Lunardi, médico respeitado em toda a região, revelou em reportagem para o Jornal O Cooperalfa o motivo pelo qual, em 1961, tornou-se produtor de leite. Na segunda metade da década de 50, Valmor Lunardi foi diretor da 10ª Regional de Saúde e, nesta condição, observou o aspecto da carência nutricional, especialmente entre as crianças. Não havia indústrias de laticínios e o leite era escasso ou de qualidade duvidosa. Naquela época, prevalecia a carência nutricional, aspecto básico para a saúde. “O problema estava na falta de regularidade e na baixa quantidade de leite na alimentação das crianças”, recordou Lunardi. Segundo ele, foi este aspecto que o motivou a ingressar na agropecuária. “Tenho orgulho de ser produtor de leite”, declarou na entrevista. Valmor Lunardi representou ainda a Comissão Estadual de Pecuária Leiteira (Departamento da FAESC), junto à Confederação Nacional da Agricultura. O agropecuarista Valmor Lunardi foi ainda o primeiro produtor de leite a adquirir ordenhadeira mecânica no estado de Santa Catarina. Sempre adotou tecnologia em sua propriedade. Valmor foi casado com Glenda Rosa Lunardi, com quem teve três filhos. Faleceu aos 75 anos de idade, no dia 08 de agosto de 2009. Glenda reside em Chapecó.