Aury Luis Bodanese (em memória)

Aury Luiz Bodanese nasceu no dia 03 de julho de 1934, em Linha Tapir, Barão do Cotegipe, Rio Grande do Sul. Neto de imigrantes italianos vindos do Vêneto em l870 e filho de um pequeno comerciante, Aury chegou com a família ao interior de Chapecó, Alto da Serra, no ano de l948. Lá, casou-se com Zelinda Santa Catarina Bodanese, com quem teve quatro filhos: Bernardete, Bruno, Beatriz e Berenice. Foi vereador de Chapecó entre os anos de 1967 e 1971.   Comerciante de olhar aguçado, atento às oportunidades e empreendedor visionário, Aury destacou-se no meio rural. Amigo de agricultores e reverenciador da atividade agrícola, por sua importância no desenvolvimento social e econômico da região, Bodanese foi um precursor do cooperativismo em Santa Catarina. Seja pelo impecável exemplo, pela memória, pelo tino administrativo ou pela defesa aos agricultores, Aury Luiz Bodanese será sempre uma referência. Esteve à frente da criação da Cooperalfa (1967), da Cooperativa Central Aurora (1969), da Organização das Cooperativas Brasileiras-OCB (1969), da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina – OCESC (1971) e da Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado de Santa Catarina – FECOAGRO (1975).  Foi conselheiro de várias entidades representativas do agronegócio e do cooperativismo. Recebeu vários diplomas e títulos de destaque pelo apoio e amizade dedicados à comunidade local e regional. Era respeitado por governos, associados e lideranças nacionais, foi também foi o principal mobilizador para a criação da então Credialfa.
Em entrevista ao jornal Elo Cooperativo de maio de 1984, Aury disse que, para erguer do nada um sistema cooperativista de crédito em Santa Catarina, “era necessário focar na conscientização dos cooperados e integrar as ações das Cooperalfa e da ALFACRED” – batismo temporário usado por seis meses pela Credialfa.
Defendia Aury que era preciso “uma fortalecer a outra, barateando os custos de operação, aumentando os resultados”. O líder defendia que o ideal seriam as duas diretorias atuarem integradas “para evitar descompassos nos trabalhos de ambas”. Bodanese faleceu em 30 de janeiro de 2003, em Chapecó – SC, deixando o legado de “capitão do cooperativismo”.