Ismael Cremonini

Ismael Cremonini nasceu em 15 de julho de 1946, no município de Aratiba,RS. É o caçula dos 12 filhos de João Guido Cremonini e Francisca Donzeli Cremonini, agricultores. A família mudou-se para Nova Erechim – SC (na época pertencente a São Carlos). “A gente tinha uma terra que já não produzia muito bem, cheia de pedras, não era fácil. Um dia, minha mãe disse que tinha escutado propaganda no rádio sobre novas colonizações em Santa Catarina. Falou então para meu pai e irmãos: porque não vamos ver essas terras? Não aguento mais ver pedra”. Com a mudança, a família começou vida nova, também como agricultores. Em 05 de julho de 1970, Cremonini se casou com Edite Pezenatto, em Nova Erechim, com quem tem três filhos: Cézar, Silvania e Camilo.  Em 1971, Ismael comprou o primeiro trator do município e, dois anos depois, a primeira ceifa. Em 1974, associou-se na Cooperalfa, cooperativa para a qual foi escolhido como líder em 1978. Em 1981, foi eleito vice-presidente, com mandato até 1985. No mesmo ano, mudou-se para Chapecó, para ficar mais perto do trabalho. Entre 1985 e 1989, foi Conselheiro de Administração. Em 1988, mudou-se para Capinzal, onde reside até hoje, atuando como empresário.  Na época da criação da Credialfa, Cremoni lembra que o governo estava fomentando, com restrições, a criação de cooperativas de crédito. “Lembro que, quando o Aury voltou de uma reunião com outras cooperativas agropecuárias da região, falou que todas tinham decidido que iriam criar suas cooperativas de crédito. E foi o que fizemos: criamos a Credialfa dentro da Cooperalfa. O primeiro gerente foi Rudi Busch, que ficou encarregado de cuidar de tudo”. Ismael ressalta ainda que, apesar de saberem que seria uma missão difícil, todos acreditavam muito em Aury. “Ele exaltava as cooperativas de crédito que conhecera na Europa e que, em alguns países, as cooperativas de crédito eram tão fortes quanto os demais bancos e o futuro era investir nisso. E foi o que fizemos, crescendo aos poucos. Tenho muito orgulho de ver no que a cooperativa se transformou”.