Inaugurado Centro Histórico Germânico

Inácio Oswald, residente em Itapiranga/SC, no oeste do estado, sonhou em homenagear a história de sua família e da sua cultura. No dia 07 de maio, seu sonho tornou-se realidade. Depois de três anos de trabalho, entregou como presente a toda uma região um magnífico espaço de cultura, lazer e valorização da história e tradição germânica!  

Parte dos recursos aplicados no projeto são oriundos da Cota-Capital de Oswald, que atua como suinocultor e integra o quadro social da Cooperalfa na filial de Águas de Chapecó. “Pediram-me quando isso irá se pagar e respondi: um sonho não tem preço”, pontuou o cooperado, que concretizou o projeto com recursos próprios.  Segundo Inácio, o Centro foi sonhado e construído com muito carinho e dedicação, para homenagear todos os antepassados, em especial seus pais. Inácio destacou que seu objetivo maior é deixar um legado para as próximas gerações.   

A direção da Cooperalfa se fez presente com Romeo Bet, Cládis Jorge Furlanetto e Edilamar Wons, além de Sedenir Massignan, gerente da filial de Águas de Chapecó. O presidente Romeo Bet lembrou das dificuldades que os colonizadores enfrentaram quando chegaram a esta região ainda no século passado. “As construções aqui existentes e as ferramentas expostas me fizeram lembrar da minha infância com meus pais.Quase cai em prantos, de tanta emoção! Este espaço resgata toda a história da região e te parabenizo por este magnífico investimento. É uma honra muito grande tê-lo como associado”. O reitor da UCEFF, Leandro Sorgato, colocou a instituição a disposição para fazer a conexão desde local com a educação. “Nunca vamos cansar de falar dos indicadores de educação que temos nesta região, que são muito acima da média estadual e nacional. Isso tudo é mérito de um povo que viu na educação a mola propulsora do desenvolvimento”, destacou.   

O historiador, Leandro Mayer, pontuou que a atual geração tem a oportunidade de reviver as dificuldades que os desbravadores passaram nas matas de Porto Novo e lhes prestar reverência, especialmente pelo desenvolvimento regional e pelos ensinamentos e legados, como a vida comunitária e a cooperação. “Venha conhecer este espaço temático, viajar no tempo, pela história de Porto Novo e da imigração alemã, que em 2024 vai completar 200 anos no Brasil”, convidou o professor.
           

ESPAÇOS TEMÁTICOS

A história dos migrantes e imigrantes alemães em Porto Novo (hoje Itapiranga), as práticas de trabalho, a religiosidade, o lazer, a sociabilidade, a formação do município e a história da família Oswald, podem ser conhecidas em diversos espaços temáticos, a exemplo de alguns que citamos a seguir. 

 CASA DO IMIGRANTE

Neste espaço, o visitante conhecerá recortes históricos e as vivências dos primeiros alemães que chegaram em Porto Novo, a partir de 1926.  A casa, construída em 1935, pertencia a família Wohlfart, localizada na Linha Presidente Becker.  Por estar próxima à igreja, servia de referência para as pessoas que chegavam ao local.  

 CASA OSWALD

A casa é uma réplica da residência de Otto Oswald e Helena Buss, pais de Inácio. A edificação é um legado histórico em memória aos pais e aos imigrantes alemães que colonizaram Porto Novo. A moradia representa a estrutura arquitetônica utilizada na época da colonização e estava localizada na Linha Baú, Itapiranga.  

MOINHO

Nas primeiras décadas da colonização de Porto Novo, o beneficiamento de cereais foi fundamental para a subsistência das famílias. Com a criação dos moinhos, o processamento de grãos se tornou mais eficiente, facilitando a moagem e a obtenção das farinhas de trigo e milho.  

 IGREJA/ESCOLA

Essa edificação buscou preservar as características da primeira Igreja, datada de 1935, construída toda em madeira, localizada na Linha Presidente Becker. Enquanto nos fins de semana, a edificação funcionava como igreja, de segunda a sexta-feira, o espaço era aproveitado como escola da comunidade. 

O HOTEL

O primeiro hotel de Porto Novo foi construído em 1928 pela família Schöeler na comunidade de Sede Capela. Próxima do Rio Uruguai, a edificação foi fundamental para o desenvolvimento da colônia, pois situava-se na rota de passagem das balsas. Abrigava também a família e a Comercial Schöeler. A edificação possuía três pavimentos: o porão (armazém); o térreo( moradia da família) e o sótão (hotel).  

A ARAPUCA GIGANTE, O JARDIM e as TRILHAS

O parque dispõe de amplos espaços que proporcionam ao visitante conexão com à natureza, como por exemplo o Jardim das Hortênsias, a Trilha do Conhecer e a Trilha do Bambu. Na Trilha do Conhecer, é possível aprender sobre cotidiano dos migrantes e seus meios de subsistência, por meio das caçadas e uso de instrumentos como a Arapuca. Você vai se surpreender com a Arapuca Gigante construída no local.  

CASA DAS COOPERATIVAS E DO COMÉRCIO 

É um espaço em construção, que vai mostrar a importância do cooperativismo e do comércio no desenvolvimento do município. Itapiranga hoje é sede da cooperativa mais antiga de Santa Catarina.  

 O empreendimento está localizado às margens da rodovia SC-163, em La. Cordilheira, Itapiranga e abrange uma área de 60mil m². O Centro Histórico possui 30 pontos internos mapeados, dentre eles, dez construções temáticas, que retratam a história da colonização a partir do ano de 1926. O local está aberto para visitação de terça-feira a domingo, das 9h às 19h, e conta com restaurante e espaço para comercialização de lembranças. O valor do ingresso varia de acordo com a faixa etária. Mais informações pelo telefone (49) 36770836 ou nas redes sociais do Centro.  

Para saber mais, acesse a reportagem produzida pelo Alfa TV no vídeo abaixo:

Fonte: CEMAC.