1844

Pioneiros de Rochdale

Pioneiros de Rochdale

É criada o que é considerada a primeira cooperativa moderna, a “Sociedade dos Probos de Rochdale” por 28 operários – 27 homens e uma mulher -, em sua maioria tecelões, no bairro de Rochdale – Manchester, Inglaterra. Forneceu ao mundo os princípios morais e de conduta que são considerados, até hoje, a base de um cooperativismo autêntico.

1889

Primeira Cooperativa de SC

Primeira Cooperativa de SC

Oficialmente, a primeira cooperativa a ser registrada no estado de Santa Catarina foi a Societá Cooperativa Del Tabaco, em 1889, na colônia Rio dos Cedros, no Vale do Itajaí. “Fundada por colonos italianos, a cooperativa tinha por objetivo produzir e exportar fumo para a Europa.” (OCESC, 2011, p. 29).

1895

Criação da ACI

Criação da ACI

Fundada em Londres, Inglaterra, a Aliança Cooperativa Internacional (ACI), durante o I Congresso Cooperativista Internacional. É uma organização não-governamental independente, que reúne, representa e serve a sociedades cooperativas em todo o mundo. 

1902

Primeira Cooperativa de Crédito

Primeira Cooperativa de Crédito

Fomentada pelo Padre Theodor Amstad, no ano de 1902, em Linha Imperial, distrito do município de Nova Petrópolis/RS, surgiu a primeira cooperativa de crédito da América Latina, a Caixa de Economia e Empréstimos Amstad, atual Sicredi Pioneira/RS. Anos depois, os ideais cooperativistas do padre atravessaram a fronteira gaúcha, chegando a Santa Catarina.

1903

Primeiro Decreto

Primeiro Decreto

O primeiro Decreto que menciona o cooperativismo é de 06 de janeiro de 1903, sob o nº 979, permitindo aos sindicatos a organização de caixas rurais de crédito, bem como cooperativas agropecuárias e de consumo, sem maiores detalhes.

1923

Criado o Dia C

Criado o Dia C

O Dia Internacional do Cooperativismo foi criado pela ACI em 1923 e ocorre sempre no primeiro sábado de julho. O objetivo é incentivar a reflexão sobre a responsabilidade social do trabalho das cooperativas, como um agente importante na geração de emprego e renda. A cada ano é escolhido um tema distinto para celebrar a data.

1925

Primeira Central

Primeira Central

Em 8 de setembro de 1925, foi constituída em Porto Alegre (RS), pela reunião de dezoito cooperativas, a Central das Caixas Rurais da União Popular do Estado do Rio Grande do Sul, Sociedade Cooperativa de Responsabilidade Limitada, a primeira cooperativa central unicamente de crédito do Brasil. Mais tarde, em 1967, foi convertida em Cooperativa Singular, denominada atualmente SICREDI União Metropolitana RS.

Bandeira do Cooperativismo

Bandeira do Cooperativismo

A concepção original de uma bandeira do Cooperativismo com as sete cores do arco-íris surgiu do precursor do Cooperativismo na França, Charles Fourier, que já a havia adotado no Falanstério, a comunidade ideal por ele concebida, como símbolo da “unidade na diversidade”. Mesmo após sua morte em 1837, em cada reunião anual de seus discípulos, o uso do emblema do arco-íris foi mantido. Em 1896 L. Bernardot, delegado do Falanstério de Guisa apresentou a ideia da bandeira única do Cooperativismo ao II Congresso da ACI realizado em Paris, porém, sem aprovação. Charles Gide, grande pensador francês do Cooperativismo, recolheu a concepção e, em 1923, na cidade de Gante (Bélgica), o Comitê Executivo da ACI aceitou a proposta de ter uma bandeira na qual fossem representadas as sete cores. Vermelho, alaranjado, amarelo, verde, azul, anil e violeta simbolizam “os ideais e objetivos da paz universal, a unidade que supera as diferenças políticas, econômicas, sociais, raciais ou religiosas; a esperança da humanidade em um mundo melhor onde reine a liberdade, a dignidade pessoal, a justiça social e a solidariedade”. As cores do arco-íris representam a nobreza e a grandiosidade de um símbolo da natureza em um conjunto de cores, cuja união significa a paz após a tormenta.

Cada uma destas cores tem um significado próprio:

Vermelho – Coragem.
Anil – necessidade de ajudar a si próprio e aos outros através da cooperação.

Alaranjado – Visão de futuro.
Violeta – Beleza, calor humano e coleguismo.

Amarelo – Desafio em casa, família e comunidade.
Verde – Crescimento individual como pessoa e como cooperado.
Azul – Horizonte distante, a necessidade de ajudar os menos afortunados, unindo-os uns aos outros.

O Conselho de Administração da ACI, durante reunião realizada em Roma – Itália, em abril de 2001, deliberou sobre a mudança da Bandeira do Cooperativismo, para promover e consolidar claramente a imagem cooperativa, já que a antiga bandeira era utilizada por alguns grupos não-cooperativos, o que causava confusão em alguns países. A bandeira que substitui a tradicional do arco-íris é de cor branca e tem o logotipo da ACI impresso no centro, do qual emergem pombas da paz, representando a unidade dos diversos membros da ACI. O logotipo foi aprovado em 1995 por ocasião do Centenário da ACI. O arco-íris é representando em seis cores e a sigla ACI está impressa na sétima cor: o violeta.

1931

Criação do Museu dos Pioneiros de Rochdale

Criação do Museu dos Pioneiros de Rochdale

O Museu dos Pioneiros de Rochdale fica em Manchester, na Inglaterra, e conta a história da Sociedade Equitativa dos Pioneiros de Rochdale, primeira cooperativa dos tempos modernos, fundada em 1844. A cooperativa alugou sua primeira loja na rua Toad numero 31 em Rochdale, e o movimento cooperativo mais tarde adquiriu o imóvel e o abriu-o como um museu em 1931. O local recria a loja original com equipamentos e produtos que eram vendidos na época. O objetivo é conservar o local original daquela primeira cooperativa de consumo, e gerar uma reflexão em torno dos princípios e ideais do movimento cooperativo. O museu ressuscitou o nome legal da Sociedade Equitativa dos Pioneiros de Rochdale em 1989, devido do nome de ter sido abandonado pela cooperativa original em 1976, com à fusão com a Oldham Co-operative. O arquivo do movimento cooperativo em Rochdale é detido pela Rochdale Boroughwide Cultural Trust. Em 20212 houve uma reinauguração do Museu dos Pioneiros de Rochdale, que coincidiu com o encerramento das comemorações pelo Ano Internacional das Cooperativas, durante a ICA-Expo 2012 – maior feira internacional do cooperativismo. Acesse o site do museu   https://www.co-operativeheritage.coop/

1932

Cooperativismo e Era Vargas

Cooperativismo e Era Vargas

Do início do século XX até a década de 1930, inúmeras são as experiências cooperativas no Brasil, mas a partir da Era Vargas, as cooperativas cresceram com forte intervenção e apoio estatal. O decreto nº 22.239, de 19 de dezembro de 1932, definiu que as Sociedades Cooperativas que seguiam o modelo de Raiffeisen deveriam observar as seguintes normas: ausência de capital social e indivisibilidade dos lucros; responsabilidade ilimitada; área de operações reduzida a uma pequena circunscrição rural, de preferência o distrito municipal, mas que não poderiam, em caso algum, exceder o território de um município. Os empréstimos deviam servir sempre para o fomento da produção rural, não podendo servir para incentivar o consumo. Já as Sociedades cooperativas que seguiam o modelo Luzzatti deveriam observar: capital social dividido em quotas-parte de pequeno valor; responsabilidade limitada ao valor da quota-parte do capital; área de operações circunscrita, tanto quanto possível, ao território do município em que tiver a sua sede, só podendo estabelecer área maior, fora desse território, quando municípios próximos abrangessem zonas economicamente tributárias daquele em que estiver; administração constituída por um conselho de administração. Este Decreto regulamentou a criação de Cooperativas Centrais e ainda criou 4 tipos de Cooperativas de Crédito Singulares:

  • Cooperativas de Crédito Agrícola (modelo Raiffeisen), que deveriam ter em seu quadro social no mínimo 60% de agricultores;
  • Cooperativas de Crédito Mútuo (modelo Desjardins), que exigia o vínculo entre os associados (profissão, empresa, ou classe);
  • Cooperativas Populares de Crédito Urbano (modelo Luzzatti), que permitiam a livre admissão de associados (qualquer ramo ou profissão);
  • Cooperativas de Crédito Profissionais, de Classe ou de Empresas, que não exigiam vinculo entre os associados, desde que tivessem características comuns entre si.

O Decreto foi revogado em 1934, sendo restabelecido em 1938. Em 1943 foi novamente revogado, para ressurgir em 1945, permanecendo em vigor até 1966. Apesar de todos os transtornos, foi uma fase de muita liberdade para formação e funcionamento de cooperativas, inclusive com incentivos fiscais.

Mais antiga Cooperativa de SC

Mais antiga Cooperativa de SC

Em 21 de outubro de 1932, realizou-se a assembleia de constituição da Caixa Rural União Popular de Porto Novo. Era a origem do Sicoob Creditapiranga, a cooperativa de crédito mais antiga de Santa Catarina em funcionamento, no município de Itapiranga.

1937

Princípios do Cooperativismo

Princípios do Cooperativismo

Em um congresso da ACI em Paris, foram reunidas as regras de funcionamento e gestão da Sociedade dos Pioneiros de Rochdale e transformadas nos cinco princípios iniciais do cooperativismo: adesão livre e voluntária; gestão democrática; participação econômica dos membros; autonomia e independência; educação, formação e informação.

1943

Caixa de Crédito Cooperativo

Caixa de Crédito Cooperativo

Promulgado o DECRETOLEI N. 5.893, de 19 de outubro de 1943, que dispõe sobre a organização, funcionamento e fiscalização das cooperativas.  Estabelece que fica criada, na capital da República, a Caixa de Crédito Cooperativo, destinada ao financiamento e fomento do cooperativismo no território nacional, sendo que o Ministro da Agricultura regulamentará a organização e o funcionamento da C.C.C. e suas filiais.

1951

Banco Nacional de Crédito Cooperativo – BNCC

Banco Nacional de Crédito Cooperativo – BNCC

E, em 1951, a Lei 1.412 transforma a Caixa de Crédito Cooperativo no Banco Nacional de Crédito Cooperativo (BNCC), com objetivo de promover assistência e amparo às cooperativas. O BNCC possibilitava, com exclusividade, a participação indireta das cooperativas de crédito que captassem depósitos à vista na Câmara de Compensação de Cheques. O BNCC era controlado pela União, que inicialmente participava com 60% de seu capital, sendo os 40% restantes subscritos pelas cooperativas legalmente constituídas e em funcionamento. Não obstante a participação acionária, as cooperativas jamais tiveram qualquer ingerência na administração do banco, que nunca se constituiu em órgão de cúpula do sistema cooperativo. Apesar de prever uma grande ingerência do governo – o cooperativismo passou a ser fiscalizado, controlado e fomentado pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) e o Conselho Nacional de Cooperativismo (CNC).

1956

Fundação da UNASCO

Fundação da UNASCO

Fundada em São Paulo a União das Associações Cooperativas (UNASCO) e, em 1964, a Associação Brasileira de Cooperativas (ABCOOP), no Rio de Janeiro. Em 1969 elas se unem para formar a Organização das Cooperativas Brasileiras, OCB.

1962

Suspensão de registros de novas cooperativas de crédito

Suspensão de registros de novas cooperativas de crédito

Segundo o Banco Central do Brasil, ao fim de 1961, existiam no Brasil 511 cooperativas de crédito, com 547.854 associados. O Decreto do Conselho de Ministros nº 1.503, de 12 de novembro de 1962, suspendeu as autorizações e os registros de novas cooperativas de crédito ou com seções de crédito. Após essa data, verificou-se um declínio no número de instituições, que somente seria revertido mais de vinte anos depois.

1964

Criada a ASCOOP

Criada a ASCOOP

O primeiro órgão representativo do cooperativismo em Santa Catarina foi a Associação das Cooperativas de Santa Catarina – ASCOOP, fundada em 1º de agosto de 1964, durante a 1ª Reunião Regional, realizada em Blumenau, que ensaiou os passos iniciais para a uniformidade do movimento em todo o território estadual, após as medidas adotadas por órgãos governamentais para a regularização das cooperativas até então existentes.

Sistema Financeiro Nacional

Sistema Financeiro Nacional

Foi criado o Sistema Financeiro Nacional, que quase extinguiu as cooperativas de crédito mútuo abertas à população. Por outro lado, os militares incentivaram as cooperativas agrícolas como questão de segurança alimentar. “Com a lei de 1964, que reformulou o sistema bancário nacional e determinou outras providências, o governo assumiu, por meio do Banco do Brasil, o ônus de financiar a produção primária, em detrimento do cooperativismo (WERLE, 2014, p.104). Seu ressurgimento foi apenas na década de 1980, quando muitas delas, principalmente em Santa Catarina, foram fomentadas pelas cooperativas agropecuárias.

1966

Sexto princípio

Sexto princípio

Naquele ano, foi adotado o sexto princípio do cooperativismo, a intercooperação: as cooperativas atendem às necessidades de seus membros e fortalecem o movimento quando atuam em conjunto.

Conselho Nacional do Cooperativismo

Conselho Nacional do Cooperativismo

A partir de 1966, o Decreto-Lei nº 59, de 21 de novembro, define a política nacional de cooperativismo, cria o Conselho Nacional do Cooperativismo e dá outras providências. A orientação geral da política cooperativista nacional caberá ao Conselho Nacional de Cooperativismo, criado Junto ao Instituto Nacional de Desenvolvimento Agrário.  Regulamentado pelo Decreto nº 60.597, de 19 de abril de 1967, o Governo Federal passa a orientar a política nacional de cooperativismo, coordenando as iniciativas que se propuserem a dinamizá-la. O Poder Público atuará, através de financiamentos e incentivos fiscais, no sentido de canalizar para as diferentes regiões do País as iniciativas que tragam condições favoráveis ao desenvolvimento do cooperativismo. Esse decreto foi revogado pela Lei nº 5.764, de 1971

1967

Fundada a Cooperchapecó

Fundada a Cooperchapecó

Fundação da então Cooperchapecó (hoje Cooperalfa) que, em 1984, teria 25 dos seus associados como protagonistas da fundação da então Credialfa, hoje Sicoob MaxiCrédito. 

1969

Constituição da OCB

Constituição da OCB

No dia 02 de dezembro de 1969, durante a sessão solene de abertura do IV Congresso Brasileiro de Cooperativismo, realizado em Belo Horizonte, é criada a Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB, em 2 de dezembro de 1969, como entidade representativa do sistema no Brasil. No ano seguinte, a OCB foi registrada em cartório. 

1971

Criação da OCESC e Lei do Cooperativismo

Criação da OCESC e Lei do Cooperativismo

Constituída em 28 de agosto, a OCESC passou a representar efetivamente o sistema cooperativo catarinense, para a criação e registro de cooperativas singulares, centrais e federações, encarregando-se gradativamente dos serviços anteriormente a cargo de órgãos governamentais, coordenando o encaminhamento da documentação correspondente à OCB, aos órgãos normativos estatais e à Junta Comercial do Estado de Santa Catarina – JUCESC. No mesmo ano, após um período difícil, em 16 de dezembro, foi promulgada a Lei nº 5.764, que definiu a Política Nacional de Cooperativismo e instituiu o Regime Político das Cooperativas, ainda em vigor hoje. A lei define o regime jurídico das cooperativas, sua constituição e funcionamento, sistema de representação e órgãos de apoio. Enfim, finalmente os requisitos para a viabilização e fortalecimento do Sistema Brasileiro de Cooperativismo estavam concentrados num único documento. Na imagem, primeira sede da OCESC, no prédio cedido pela então ACARESC para funcionamento da organização e da FAESC.

1980

O cooperativismo de crédito ressurge

O cooperativismo de crédito ressurge

Em 1980 remanesciam em todo o Brasil apenas 430 cooperativas de crédito.

Analisada a experiência do passado, e ciente de que o meio rural não teria condições de arcar com as altas taxas de juros que são cobradas pelas instituições bancárias, um cooperativista brasileiro chamado Mário Kruel Guimarães deu início a um processo de objetivos muito bem definidos, na tentativa de criar um verdadeiro Sistema de Crédito Rural cooperativo no país. Esse projeto começou a ser deslanchado no ano de 1981 e teve muito boa aceitação no Rio Grande do Sul, sendo constituída a “Cooperativa Central de Crédito Rural do Rio Grande do Sul Ltda – COCECRER“, a primeira dos novos tempos (nova era do cooperativismo de crédito brasileiro). Das 12 cooperativas de crédito remanescentes no Rio Grande do Sul, 9 delas recriaram a Central Cocecrer. Até estarem concluídos seus atos constitutivos, outras 30 cooperativas singulares já estavam prontas para começarem a funcionar, grande parte delas criadas dentro de Cooperativas Agropecuárias.

1981

Anunciada a AlfaCred

Anunciada a AlfaCred

A Cooperalfa anuncia em um jornal estadual que a AlfaCred seria criada ainda naquele ano, e passaria a ser o banco dos seus associados. Questões legais adiaram por alguns anos o objetivo. 

1984

Frente Parlamentar do Cooperativismo – FRENCOOP

Frente Parlamentar do Cooperativismo – FRENCOOP

Formação da Frente Parlamentar do Cooperativismo – FRENCOOP. Formada por Deputados e Senadores; de várias filiações partidárias, tinha o objetivo de executar ações em prol do cooperativismo. A atuação da FRENCOOP foi muito importante para que, anos depois, em 1988, o cooperativismo conquistasse sua autonomia na nova Constituição.

Secretaria Nacional do Cooperativismo – SENACOOP

Secretaria Nacional do Cooperativismo – SENACOOP

Pelo Decreto nº 90393, de 30 de outubro de 1984, o Estado cria a Secretaria Nacional de Cooperativismo, no Ministério da Agricultura, e da outras providencias. O SENACOOP passa a fomentar, prestar assistência técnica, coordenar e fiscalizar as atividades relativas à expressão do sistema cooperativista e do associativismo rural, de conformidade com as diretrizes do Conselho Nacional de Cooperativismo – CNC. A partir desse momento, a fiscalização das cooperativas, que era incumbência do INCRA, passa a ser do SENACOOP.

Fundação da Credialfa

Fundação da Credialfa

Depois de três anos de espera, é fundada a Cooperativa de Crédito Rural de Chapecó Ltda. –  Credialfa, em 16 de novembro de 1984, com a presença de 169 cooperativistas e subscrição de Cotas parte de 25 associados da Cooperalfa. Foi uma luta em busca de mais crédito para produzir e menos exploração bancária.

1985

Fundação da COCECRER

Fundação da COCECRER

É criada a Cooperativa Central de Crédito Rural de Santa Catarina – Cocecrer/SC, no dia 8 de novembro de 1985, quando 27 delegados representantes de sete cooperativas singulares de crédito e duas de produção rural reuniram-se em Itapema (SC) para fundar a Central. O objetivo, na época, era “organizar em comum e em maior escala os serviços econômicos e assistenciais de interesse das filiadas, integrando e orientando suas atividades”. Depois de passar por uma reestruturação interna, em 31 de outubro de 1997, a Cocecrer/SC passou a integrar o Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) e mudou o nome para Cooperativa Central de Crédito de Santa Catarina (Sicoob Central/SC). Em 2009, com a permissão do Banco Central do Brasil para atuar também no Rio Grande do Sul, se transformou em Sicoob Central SC/RS.

Autorização de funcionamento

Autorização de funcionamento

Em 22 de maio é emitida a autorização de funcionamento e, em 15 de agosto de 1985, entra em funcionamento a fase operacional da agência pioneira e do setor administrativo da Credialfa;

1986

Constituição da Confebrás

Constituição da Confebrás

Em 1986 é constituída, em Vitória/ES, a primeira confederação do setor, a Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito – Confebrás, como sucessora da Feleme, e com interesse pelo fomento mais abrangente das cooperativas de crédito urbano. Hoje tem sede em Brasília.

 

Primeira Eleição e espaço independente

Primeira Eleição e espaço independente

É realizada a primeira eleição para o Conselho de Administração. Presidente: Elói Frazzon; vice-presidente: Mário Lanznaster; secretário: Reni Bagatini; conselheiros de administração: Gilberto Velinho Vasconcelos, Giocondo José Cella e Antônio Sebastião Schneider. Os escolhidos abriram mão de qualquer honorário até a assembleia de 1987. Também, em 1987, a Credialfa, que até então funcionava dentro do setor financeiro da Cooperalfa, passa a ter um espaço independente, ao lado, no que tinha sido o prédio da estrutura administrativa de empresa Santa Úrsula, comprado pela Cooperalfa. 

1987

Crescimento no número de associados

Crescimento no número de associados

Dos 148 associados do ano anterior, passou a ter 986 cooperados, um aumento de 666% em apenas um ano.

1988

Poupança Verde e cheque especial

Poupança Verde e cheque especial

Durante o X Congresso Brasileiro de Cooperativismo, no dia 08 de março, foi lançada a Poupança Verde.  A caderneta de poupança rural tinha como objetivo angariar e repassar recursos dos próprios agricultores para custeio de lavouras e aquisição de equipamentos. No mesmo ano, houve a implantação do cheque especial na carteira de operações.

Constituinte e autogestão do cooperativismo

Constituinte e autogestão do cooperativismo

A nova Constituição Federal de 1988, em seu artigo 192, incluiu as Cooperativas de Crédito no Sistema Financeiro Nacional, dando um novo horizonte ao futuro das mesmas, apresentando a possibilidade de atingir a autonomia operacional almejada desde as origens do movimento no Brasil. 

1989

Cooperativismo ganha força

Cooperativismo ganha força

Em abril daquele ano, a Central de Crédito Rural de Santa Catarina – Cocecrer/SC já tinha 10 filiadas e anunciava que as cooperativas de crédito tinham crescido significativamente no ano anterior. 

1990

Extinção do BNCC

Extinção do BNCC

Em meio ao Plano Collor, no dia 21 de Março de 1990, é extinto o Banco Nacional de Crédito Cooperativo – BNCC. Do dia para a noite as Cooperativas de Crédito deixam de ter cheque compensado, forçando que as mesmas fizessem convênios com outras instituições financeiras. A Credialfa fez parceria com o Banco do Estado de Santa Catarina – BESC. 

1991

Criação do Funcredi

Criação do Funcredi

Durante Assembleia Geral Extraordinária – AGE, de 09 de agosto, foi criado o Fundo Mútuo de Captação Rural – Funcredi, que tinha como objetivo possibilitar a aplicação por associados detentores de recursos financeiros no fundo, que tinha uma finalidade específica de praticar operações creditórias dentro dos percentuais preconizados pelo Manual de Crédito Rural (MCR) do Banco Central do Brasil, promovendo a capitalização daqueles que necessitavam de maior assistência financeira.

1992

Expanção

Expanção

Em janeiro de 1992, a Credialfa atendia na sede, junto a Cooperalfa matriz, e possuía quatro postos avançados junto as filiais da Cooperalfa de Planalto Alegre, Caxambú do Sul, União do Oeste e Coronel Freitas. Dois anos depois, em 08 de janeiro de 1994, a então Credialfa abre sua primeira agência fora da sede, na cidade de União do Oeste/SC. 

1993

Posto em Quilombo

Posto em Quilombo

No dia 06 de maio a então Credialfa inaugura seu posto de atendimento em Quilombo/SC. 

1994

Financiando implementos agrícolas

Financiando implementos agrícolas

A partir de fevereiro daquele ano, a Credialfa passou a disponibilizar financiamento para compra de implementos e máquinas agrícolas a seus associados. 

1995

Sétimo Princípio

Sétimo Princípio

Em 1995 foi comemorado o centenário da ACI em Londres e aprovado o sétimo princípio do cooperativismo, o interesse pela comunidade, que se baseia no desenvolvimento sustentável das localidades.

Agência em Xaxim

Agência em Xaxim

Em 08 de maio iniciam as atividades da agência de Xaxim/SC, junto a filial da Cooperalfa.

1996

Criado o Bancoob

Criado o Bancoob

Criação do Banco Cooperativo do Brasil S.A. – Bancoob, regido e regulamentado pela Lei 4.595/64 e pela Resolução 2.788/00 do Conselho Monetário Nacional. Definido como banco comercial privado especializado no atendimento a cooperativas de crédito, o Bancoob foi fundado pelas centrais cooperativas filiadas ao Sicoob, em 4 de novembro de 1996, iniciando suas operações em setembro de 1997.

1997

Agência em Coronel Freitas e Campo Erê

Agência em Coronel Freitas e Campo Erê

Criação da agência de Coronel Freitas/SC, que funcionava junto a filial da Cooperalfa; criação da agência de Campo Erê/SC, que funcionava junto a Cooperalfa. Adionir Antonio Krindges ia três vezes por semana da agência de São Bernardino para atender lá. Ele trabalhava na mesma sala do auxiliar de escritório da Alfa da época, Altair Almeida. Nos dias que não tinha atendimento, Altair recebia os documentos e depósitos e repassava para o funcionário da Credi quando ele estava. 

1998

Criação do Sescoop

Criação do Sescoop

Antes do Plano Real, nos anos 1980 e 90, o país passou por crises na economia, com inflação galopante, graves reflexos na agricultura e aumentos sucessivos no índice de desemprego. Muitas cooperativas agrícolas sucumbiram e, no meio urbano, muitas de trabalho e de crédito surgiram como alternativa para os trabalhadores driblarem as dificuldades econômicas. Para aprimorar e profissionalizar a autogestão das cooperativas, o governo criou, em 1998, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop). Órgão do Sistema S, o Sescoop oferece às cooperativas programas de formação, promoção social e monitoramento, em ações com cooperados, funcionários e também jovens, preparando-os para assumir a gestão do cooperativismo no futuro.

Credialfa agora é Sicoob Credialfa

Credialfa agora é Sicoob Credialfa

Após a extinção do BNCC, as cooperativas de crédito ficaram sem uma instituição para fazer as compensações financeiras. Em setembro de 1997 todas as cooperativas de crédito de SC se ligam ao Bancoob através do Sicoob Central SC. Com isso, em 16 de março de 1998, a Credialfa passa a denominar-se Sicoob/SC Credialfa. 

1999

Agências em Marema e Nova Erechim

Agências em Marema e Nova Erechim

Iniciam as atividades das agências de Marema/SC e agência de Nova Erechim/SC, junto as filiais da Cooperalfa daquelas cidades.

2000

Agência em São Bernardino

Agência em São Bernardino

Inauguração da agência da cidade de São Bernardino/SC, junto a filial da Cooperalfa. 

2001

Nova agência em Chapecó

Nova agência em Chapecó

Inauguração do segundo PA da cidade de Chapecó/SC, a agência Nova Era, no bairro Efapi.

2002

Campo Erê em novo endereço

Campo Erê em novo endereço

A agência de Campo Erê, que atuava junto a unidade da Cooperalfa desde 1997, passa a atuar em novo endereço, junto a antiga rodoviária, na rua Maranhão, no centro da cidade. O atendimento, que era específico em alguns dias da semana, passa a ser em tempo integral. 

2003

Ampliação da Sede Administrativa

Ampliação da Sede Administrativa

Inauguração da ampliação e reforma da sede administrativa e Agência Pioneira, em Chapecó/SC.

 

2004

Campanha da Capitalização

Campanha da Capitalização

Primeira campanha de capitalização da então Credialfa (CREDICAP), lançada em comemoração aos 20 anos de fundação da cooperativa. Na imagem, urna de ráfia usada para depósito dos cupons. 

 

Novas agências

Novas agências

Inauguração de agências em: União do Oeste/SC, que, desde 1992, funcionava junto a  Cooperalfa; agência Centro, em Chapecó/SC; agência do Distrito Marechal Bormann, em Chapecó; agência de Nova Itaberaba/SC (antes, o ponto de atendimento era uma sala junto a filial da Cooperalfa, onde eram feitos os atendimentos).  

2005

Mais agências

Mais agências

Inauguração da agência de Planalto Alegre/SC. Antes dessa inauguração, a Credialfa tinha um ponto de atendimento junto a filial da Cooperalfa; inauguração da agência de Jardinópolis/SC. Antes dessa data, o ponto de atendimento funcionava junto a filial da Cooperalfa.  (as duas fotos foram tirada em 2011)

Livre Admissão

Livre Admissão

A Resolução 3.106/03 do CMN, de 2003, permite a criação de Cooperativas de Crédito de Livre Admissão de Associados ampliando as possibilidades de crescimento da participação de mercado das cooperativas. Em 16 de dezembro de 2005, o Sicoob Credialfa torna-se a primeira cooperativa de Santa Catarina, do sistema Sicoob, a se tornar de livre admissão de associados.  

2006

Ampliando o atendimento

Ampliando o atendimento

Inauguração das agências de Águas de Chapecó/SC e Lajeado Grande/SC, e mais três em Chapecó/SC: agências São Cristóvão, Palmital e Santa Maria.

Novo nome

Novo nome

Em 31 de março de 2006, a Credialfa passa a se chamar Cooperativa de Crédito Maxi Alfa de Livre Admissão de Associados – Sicoob MaxiCrédito.

2007

Agência do Formosa do Sul

Agência do Formosa do Sul

Inauguração da agência de Formosa do Sul/SC ( foto foi tirada por volta de 2011). 

Eleição de lideranças

Eleição de lideranças

Eleição de Liderança própria, atendendo regimento aprovado em 2006. 

2008

Ouvidoria

Ouvidoria

Aprovada a implantação o serviço de ouvidoria externa, conforme o artigo 3° da Resolução 3477/07 do BACEN. Através deste Ato, o BACEN estabelece que as instituições financeiras e demais instituições por ele autorizadas a funcionar devem instituir componente organizacional de ouvidoria, com a atribuição de assegurar a estrita observância das normas legais e regulamentares relativas aos direitos do consumidor e de atuar como canal de comunicação entre essas instituições e os clientes e usuários de seus produtos e serviços, inclusive na mediação de conflitos. Apesar de aprovada, a ouvidoria se efetivaria em 2010. 

2009

Nova agência em Irati

Nova agência em Irati

Inauguração da nova agência de Irati/SC. Antes dessa data, a Credialfa alugava uma sala comercial em outro local da cidade.  

LC 130

LC 130

Sancionada a Lei Complementar 130/09, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo. A LC 130 foi promulgada em 17 de abril de 2009, mas seus efeitos e impactos foram percebidos de forma mais efetiva ao longo dos anos seguintes. Essa legislação representou um marco na medida em que regulou a atuação do cooperativismo de crédito no Sistema Financeiro Nacional. 

2010

Preservando a história

Preservando a história

Em parceria com a Cooperalfa, o Sicoob cria o Centro de Memória Alfa/MaxiCrédito-CEMAC, com o objetivo de preservar e comunicar sua história e do sistema cooperativo. 

 

Novas agências

Novas agências

Inauguração das agências de Cordilheira Alta/SC e Guatambu/SC. Da década de 1990 até por volta da metade dos anos 2000, havia atendimento da Credialfa junto a filial da Cooperalfa em Guatambú. Depois, passou a não ter mais atendimento na cidade, até a inauguração da agência em 2010. Os associados iam até a agência Nova Era da Efapi, em Chapecó. 

Capital do Cooperativismo

Capital do Cooperativismo

No dia 19 de janeiro de 2010, Nova Petrópolis foi coroada com o título de “Capital Nacional do Cooperativismo”, a partir da Lei Federal 12.205/2010, por sediar a primeira cooperativa de crédito das América Latina, que funciona desde 28 de dezembro de 1902. Trata-se da Caixa de Economias e Empréstimos Amstad, que teve como líder o Padre Theodor Amstad, precursor do cooperativismo no Brasil. Esta cooperativa é a atual Sicredi Pioneira RS. Nova Petrópolis possui nove cooperativas, sendo cinco delas fundadas na cidade, reafirmando assim o título recebido. 

2011

Casa Cooperativa de Nova Petrópolis

Casa Cooperativa de Nova Petrópolis

Oficialmente fundada em 15 de julho de 2011, em um evento que reuniu as principais lideranças cooperativas do mundo, inclusive a então presidente da ACI Global, Pauline Green. A Casa Cooperativa de Nova Petrópolis é uma entidade sem fins lucrativos, que tem como principal objetivo fomentar a educação e a cultura do cooperativismo na região, além de divulgar o título de “Capital Nacional do Cooperativismo”. É composta por representantes de instituições da cidade de Nova Petrópolis que apoiam o cooperativismo e o associativismo. Atualmente a Casa Cooperativa de Nova Petrópolis desenvolve, apoia e financia o projeto das Cooperativas Escolares, o Natal Cooperativo e o Roteiro Histórico do Cooperativismo. Acesso o site http://www.casacooperativa.coop.br/

Novas Agências

Novas Agências

Inauguração da agência de Águas Frias/SC e da agência Passo dos Fortes, em Chapecó/SC. 

2012

Primeira incorporação

Primeira incorporação

Ultrapassando as fronteiras do oeste catarinense, em 01 de fevereiro de 2012, o Sicoob MaxiCrédito incorpora a Cooperativa de Crédito Mútuo dos Trabalhadores das instituições de Ensino da Região Metropolitana de Florianópolis – Sicoob Credtec, de Florianópolis, e passa a expandir sua área de atuação também para o litoral catarinense. Com isso, passa a atuar com mais duas agências: Metropolitana (Florianópolis) e Kobrasol (São José).

Diretoria Executiva

Diretoria Executiva

Primeira cooperativa do Sistema  Sicoob SC/RS a trabalhar com Diretoria Executiva, segundo a LC 130. 

Agência em Santiago

Agência em Santiago

Inauguração da Agência de Santiago do Sul, SC. Da década de 1990 até por volta da metade da década de 2000, um ponto de atendimento funcionou junto a filial da Cooperalfa. Depois, foi para uma sala locada, onde atendeu por alguns meses, mas encerrou as atividades por lá. Em 2012, inaugurou uma nova agência no município, no mesmo local onde fazia seus primeiros atendimentos. 

Ano Internacional das Cooperativas

Ano Internacional das Cooperativas

Em reconhecimento pela contribuição do cooperativismo para o desenvolvimento socioeconômico, redução da pobreza, criação de emprego e integração social, em 2012 foi proclamado, pela ONU, o Ano Internacional das Cooperativas. 

2013

FGCoop

FGCoop

Constituição do Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito – FGCoop, regulamentado pela Resolução 4.284 de 2013 do Conselho Monetário Nacional, tendo por finalidade proteger depositantes e investidores das instituições associadas, respeitados os limites e condições estabelecidos no seu Regulamento.

Maxi Poupe

Maxi Poupe

Criado o programa de educação financeira Maxi Poupe, um projeto social e educacional, desenvolvido com o intuito de incentivar atitudes de cooperação com instituições de ensino da área de ação da cooperativa. São apresentados vídeos e dicas que pretendem estimular as escolas a trabalhar a educação financeira já nas séries iniciais, onde as crianças aprendem sobre o valor do dinheiro e seu uso racional, sobre a importância da poupança e também sobre a cooperação na escola, na família e na comunidade. 

Novas agências

Novas agências

Inauguração das agências de Entre Rios/SC; Estreito, em Florianópolis/SC e segundo PA na cidade de Xaxim/SC, a agência Alvorada. 

Deliberação por Associados Delegados

Deliberação por Associados Delegados

Durante AGE de 20 de março de 2013, foi aprovada a adoção de eleições e deliberações por Associados Delegados. Nas Assembleias Gerais, os associados serão representados por associados delegados, eleitos por um mandato de quatro anos, podendo ser reeleitos. Cada associado delegado representa um grupo de 300 associados.

2014

Prêmio Cooperativa do Ano

Prêmio Cooperativa do Ano

A MaxiCrédito recebeu na noite do dia 25 de novembro de 2014, no Centro de Convenções e Eventos Brasil 21, em Brasília – DF, a terceira colocação no Prêmio Cooperativa do Ano. A instituição foi destaque na categoria Comunicação e Difusão do Cooperativismo com o trabalho “Programa de Educação Financeira Maxi Poupe: Cooperando com o futuro das crianças”. 

Sicoob MaxiCrédito 30 anos

Sicoob MaxiCrédito 30 anos

O Sicoob MaxiCrédito comemora 30 anos de fundação, com festa e homenagem para os fundadores.

Mais uma agência em Florianópolis

Mais uma agência em Florianópolis

Inauguração da agência dos Ingleses, em Florianópolis/SC.

2015

Livro Sementes da Cooperação

Livro Sementes da Cooperação

Sicoob MaxiCrédito lança livro “Sementes da Cooperação: Sicoob MaxiCrédito 30 anos”.

Mais uma agência em Chapecó

Mais uma agência em Chapecó

Inauguração da agência Jardim Itália, em Chapecó-SC.

Melhores empresas para trabalhar

Melhores empresas para trabalhar

Sicoob MaxiCrédito participou da solenidade de premiação do Guia Você S/A – As Melhores Empresas para você trabalhar, edição 2015. Ela também foi classificada entre as 150 companhias com melhor desempenho.

Empresa Cidadã

Empresa Cidadã

Sicoob MaxiCrédito recebe o prêmio Empresa Cidadã 2015 em Chapecó, pelo programa de educação financeira Maxi Poupe.

2016

Agência em São José

Agência em São José

Inauguração da agência Barreiros em São José-SC. 

Sede administrativa própria

Sede administrativa própria

Depois de atuar 32 anos em estruturas locadas na Avenida Fernando Machado, a sede administrativa da Maxi mudou-se para edifício próprio, na Avenida Getúlio Vargas, em Chapecó.

Incorporação da Blucredi

Incorporação da Blucredi

No segundo semestre de 2015, o Sicoob MaxiCrédito começa as negociações para incorporação da Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados dos Vales do Itajaí e Itapocú e do Litoral Norte de Santa Catarina – Sicoob Blucredi, com sede em Blumenau/SC. O negócio é efetivado em 01 de abril de 2016, e a Maxi expande sua área de atuação para o Vale do Itajaí. 

2017

Encontro de Delegados

Encontro de Delegados

Realizado o 1º Encontro de Associados Delegados, no Centro de Eventos de Fraiburgo/SC, com palestras sobre cooperativismo, liderança e apresentações artísticas.

Conte Conosco

Conte Conosco

Criado o programa Conte Conosco, um programa de educação financeira que visa sensibilizar as famílias a voltar seus pensamentos para o orçamento familiar. A primeira palestra foi realizada em Brusque/SC, para colaboradores de uma empresa associada.

2018

Conselho Estadual do Cooperativismo

Conselho Estadual do Cooperativismo

Posse dos membros do Conselho Estadual de Cooperativismo – CECOOP. A criação do conselho foi prevista pela Política Estadual de Apoio ao Cooperativismo, criada pela Lei nº 16.834, de 16 de dezembro de 2015 (chamada de Lei Cooperativista). Santa Catarina passou a contar com um grupo que discutirá iniciativas para fortalecer o Sistema e será a ponte com o Governo do Estado. O Conselho é formado por dez membros efetivos e dez suplentes, lideranças do governo e dos ramos de cooperativas, indicados pela OCESC, que foi a articuladora da criação da Lei. O Conselho é sempre presidido pelo secretário da Agricultura do Estado e tem mandato de dois anos. O CECOOP tem a finalidade de discutir, deliberar e propor diretrizes da Política Estadual de Apoio ao Cooperativismo, assessorar a Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca de Santa Catarina na formulação da Política, acompanhar, examinar e avaliar o desempenho das ações, acompanhar a elaboração da proposta orçamentária estadual voltada ao cooperativismo, entre outros.

Papo Cooperativo e Conexão Sicoob

Papo Cooperativo e Conexão Sicoob

Lançamento do projeto Papo Cooperativo, no segundo semestre, como uma forma de aproximação com a comunidade. Tem como objetivo levar informação cooperativista e falar sobre os produtos e serviços da instituição. Já o projeto Conexão Sicoob tem como propósito compartilhar conhecimento e aprendizado para valorizar o potencial de protagonismo do jovem universitário brasileiro que tem sede de transforma sua realidade. Essa iniciativa nasceu através de uma parceria entre Sicoob Confederação, o Bancoob e a Eureca, com apoio do Movimento Brasil Júnior. 

Mais agências

Mais agências

Inauguração das seguintes agências: Santa Mônica, em Florianópolis-SC; Baú, em Ilhota-SC, que até então era um ponto de atendimento avançado da agência de Luiz Alves, município mais próximo do Baú; Ilha da Figueira, em Jaraguá do Sul-SC.

2019

Maxi Teen

Maxi Teen

É lançado o Maxi Teen, um programa que resgata valores humanos e sociais da sociedade, voltado para o público adolescente. 

Patrono do Cooperativismo

Patrono do Cooperativismo

Padre Theodor Amstad é nomeado o Patrono do Cooperativismo Brasileiro. Ele foi fundador da primeira cooperativa da América Latina, no ano de 1902, em Linha Imperial, distrito do município de Nova Petrópolis/RS: a Caixa de Economia e Empréstimos Amstad, atual Sicredi Pioneira/RS. Ele recebeu oficialmente o título de patrono do cooperativismo brasileiro em dezembro de 2019, de acordo com a Lei 13.926/19, em reconhecimento pelo seu pioneirismo e importância na disseminação do conceito. 

Novas Agências

Novas Agências

Inauguração de novas agências: Líder, em Chapecó/SC; Campeche, em Florianópolis/SC; Santa Rita, em Brusque-SC. 

2020

Agência com espaço coworking

Agência com espaço coworking

Sicoob MaxiCrédito um amplo espaço para coworking, disponível gratuitamente para empresários, empreendedores e estudantes que carecem de um espaço para uma negociação, uma apresentação em grupo, etc.  O espaço foi apresentado na reinauguração da nova agência na Universidade Regional de Blumenau (FURB). O ponto de atendimento, antes localizado dentro da FURB, agora está na rua São Paulo, 1280, bairro Victor Konder, em frente a universidade. 

Novas agências em SC

Novas agências em SC

Inauguração de mais três agências em SC: EFAPI II, em Chapecó; Areias, em São José e sua segunda agência em Itajaí /SC. 

Novas agências no RS

Novas agências no RS

Inauguração de mais agências o RS, no mês de dezembro: Campo Bom, Dois Irmãos, Parobé, Taquara e Araricá. 

Atravessando fronteiras

Atravessando fronteiras

O Sicoob MaxiCrédito amplia sua área de atuação, através da incorporação do Sicoob Ecocredi, do Rio Grande do Sul. Com isso, foram incorporadas as seguintes agências: Três Coroas, Igrejinha, Novo Hamburgo, São Francisco de Paula, Gramado, Ivoti e Sapiranga.

Agência digital

Agência digital

No mês de maio de 2020 foi criada a primeira agência digital do Sicoob MaxiCrédito.