Rovílio Antônio Scussiato (em memória)

Rovílio Antônio Scussiato nasceu em 18 de agosto de 1932, em Erechim, no Rio Grande do Sul. Chegou em Chapecó, Santa Catarina, com apenas cinco anos de idade. Estudou no Seminário de Luzerna e Rio Negro, formando-se em Teologia. Em 1972, foi ordenado diácono permanente em Chapecó. Sempre esteve envolvido com movimentos sociais, como o MST – Movimento dos Sem Terra. Consta ainda como um dos criadores da ACARPESC – Associação Crédito e Assistência Pesqueira de Santa Catarina. Foi também um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores de Chapecó e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do município, do qual também foi presidente. Além disso, foi proprietário da primeira granja de suínos de raça de Chapecó e região. Seu pai, Silvano Scussiato, era sócio da extinta Cooperativa Tritícola Oeste Catarinense Ltda, que funcionou de 1957 a 1964. No início dos anos 1960, o cooperativismo do Oeste andava muito mal. A Tritícola quebrou em 1964, a Cooperativa Mista Xaxiense Ltda passou por intervenção do Banco do Brasil e a Cooperativa Madeireira do Vale do Uruguai Ltda, presidida por Serafim Bertaso, também foi enfraquecendo até desaparecer. Porém, o então gerente do Banco do Brasil, Setembrino Zanchet, sentindo a necessidade de organizar a agricultura da região, tomou a iniciativa e convidou Rovílio Antônio Scussiato e o gerente da Acaresc, Haro Nomura, para formar um sindicato que representasse a classe trabalhadora rural. Para reivindicar a reestruturação da Tritícola Oeste ou a fundação de uma nova Cooperativa, o Governo Federal exigia a formação de uma classe organizada legalmente, como representante das reivindicações. Por isso, organizou-se o Sindicato, presidido por Rovílio Scussiato. Depois de constituído o Sindicato, Zanchet solicitou um prazo ao Governo para que o sistema cooperativista fosse reorganizado e não desaparecesse do Oeste. Então, tiveram 60 dias para legalizar todos os papéis e convidar os membros que representariam a direção da nova cooperativa ou da cooperativa reestruturada – a Tritícola. No dia 29 de outubro de 1967, uma nova era cooperativista insurgiu no Oeste catarinense com a criação da Cooperativa Mista Agropastoril Chapecó Ltda – atual Cooperalfa. A partir daí, conforme Scussiato, passou a existir uma cooperativa de verdade, forte e atuante. “A mãe que acolheu todas as outras que estavam “doentes ou desamparadas”, descreveu o fundador. Scussiato fez parte do Primeiro Conselho Fiscal da Cooperchapecó, de 1967 a 1971. Na época da fundação da cooperativa, ajudou o gerente do Banco do Brasil, Setembrino Zanchet, a dar o ponta pé inicial na reestruturação do cooperativismo do Oeste. “Setembrino foi um grande homem”, enfatizava Rovílio. Uma das mais importantes missões foi escolher quem seria o Presidente da Agropastoril Chapecó. Três pessoas foram apontadas: Rovílio Antônio Scussiato, Luíz Baldissera (que era presidente da Tritícola) e Aury Luiz Bodanese, que venceu a preferência pela sua marcante atuação como comerciante e cerealista da região. “Aury atendeu melhor os requisitos de dirigente, pela sua dinâmica e experiência”, salienta Rovílio Scussiato. Em 1967, pouco antes da fundação da Alfa, foi realizada uma pesquisa em Alto da Serra, para conhecer a aceitação e o reconhecimento daquela comunidade por Bodanese. “O resultado foi surpreendente, a grande maioria não hesitou em apontar Aury como um ótimo candidato a presidir uma cooperativa”, recordava Rovílio. Rovílio Scussiato teve cinco filhos. Faleceu em 23 de março de 2017.